• Assessoria de Comunicação

CAMPANHA CONTRA A GRIPE AMPLIA VACINAÇÃO PARA GRÁVIDAS E PUÉRPERAS, EM CURITIBA




Além das gestantes e puérperas, as unidades vacinam também outros públicos já convocados: crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias) e idosos com 60 anos completos ou mais.


A Campanha contra a Gripe continua nesta semana com a convocação de dois novos públicos: gestantes e puérperas (mães que tiveram filhos há até 45 dias). As vacinas estarão disponíveis de segunda a sexta-feira, em 97 unidades, das 8h às 17h. A lista dos pontos pode ser verificada no site Imuniza Já a partir desta segunda-feira (2).


Além das gestantes e puérperas, as unidades vacinam também outros públicos já convocados: crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias) e idosos com 60 anos completos ou mais.


Esses públicos fazem parte dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde, que considera maior a vulnerabilidade dessas pessoas para complicações causadas pela gripe.


Para a vacinação, basta ir a um dos locais de atendimento e levar um documento com foto e CPF. No caso da vacinação infantil, é preciso apresentar documento com foto e CPF do pai ou responsável e um documento de identificação da criança.


A SMS lembra que em Curitiba continua obrigatório o uso máscaras em serviços de saúde. Portanto, para a vacinação, é obrigatório o uso de máscara.


Vacinação de crianças e idosos

No caso dos idosos, além da vacina da gripe, é oferecida também a quarta dose (segundo reforço) da vacina contra a covid. E no caso das crianças é oferecida a vacinação simultânea da Vacina Tríplice Viral (VTV), que protege contra caxumba, rubéola e sarampo.


A VTV será aplicada mesmo nas crianças que estiverem com a situação vacinal em dia, por orientação do Ministério da Saúde, depois de se verificar que o sarampo voltou a ter aumento de casos no país. Em Curitiba, não há registro da doença esse ano, mas com a circulação das pessoas para outras cidades, a doença pode chegar e se espalhar se não houver um grande movimento de vacinação.


No caso das crianças que já receberam ao menos uma dose da vacina influenza em anos anteriores, o esquema vacinal será com apenas uma dose contra a gripe. Já para as crianças que serão vacinadas pela primeira vez, a orientação é que a segunda dose seja aplicada 30 dias após a primeira.


O diretor do centro de epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira, orienta sobre a importância de que pais ou responsáveis mantenham a situação vacinal das crianças em dia.


“Estamos vendo, nos últimos dias, aumento de busca por atendimento a crianças com sintomas respiratórios, viroses e outras infecções bacterianas. Algumas dessas doenças podem ser prevenidas pelas vacinas, por isso é muito importante aderir à campanha”, disse Oliveira.


Nesta segunda-feira (2), a SMS inicia também a vacinação contra a gripe da população indígena e da população em situação de rua. No caso da população indígena, a vacinação acontece diretamente na aldeia. E no caso da população de rua, a vacinação é realizada de maneira volante pelas equipes de Consultório na Rua.


Trabalhadores da Saúde

Os trabalhadores da saúde estão sendo vacinados desde o início da campanha nos próprios locais de trabalho, no caso dos hospitais e das unidades de saúde do município.


Para os trabalhadores de saúde autônomos, a vacinação será iniciada na terça-feira (3), no Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Rua Professor João Argemiro Loyola, 74, Seminário), das 8h às 17h. Essa vacinação estará disponível até 3 de junho, de segunda a sexta-feira.


Para se vacinar, precisa apresentar documento de identificação que comprove a vinculação com o serviço de saúde na capital ou carteira do conselho profissional e comprovante de residência em Curitiba.


A campanha de 2022

A SMS iniciou a campanha contra a gripe deste ano em 30 de março e já imunizou mais de 119 mil pessoas na cidade. A convocação dos demais grupos prioritários depende da chegada de nova remessa de vacinas.


Faltam ser convocados: professores; pessoas como comorbidades; pessoas com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte; trabalhadores portuários; forças de segurança; forças armadas; funcionários do sistema de privação de liberdade, a população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo