• Assessoria de Comunicação

Reeducação alimentar e a importância de bons hábitos alimentares

Atualizado: Fev 19

A nutricionista Cibele Cenciani esclarece algumas dúvidas comuns sobre a reeducação alimentar.



A reeducação alimentar propõe adequar o paladar à forma correta e saudável de consumir alimentos. A técnica se tornou necessária pelo aumento na quantidade de alimentos ultraprocessados que são consumidos diariamente. Além disso, também é pensada para a diminuição do consumo excessivo de açúcares e frituras.


“A reeducação alimentar veio para trazer o paladar correto novamente”, conta a nutricionista Cibele Cenciani, que fala também sobre a necessidade de reeducar o paladar. “Ela vem tirar essas tradições que não eram nossas, essa mudança de alimentação devido ao trabalho, faculdade e etc, que demanda que a gente coma fora de casa, ou alimentos de fácil preparo”, explica.


Benefícios, contraindicações e indicações

A nutricionista explica que para a reeducação alimentar não há contraindicação. “É a abordagem que utilizamos na nutrição com mais frequência”, conta Cibele, que explica que a adesão a ela é maior do que a de dietas.

“A abordagem nutricional da reeducação alimentar é para explicar o porquê estamos consumindo determinadas coisas. O conhecimento facilita a aderência”, conta a nutricionista.


“Ela é indicada tanto para manutenção de peso, quanto para prevenção de doenças e também para emagrecimento”, explica Cibele. A nutricionista conta que dentre os principais benefícios estão a melhora da resposta do sistema imunológico, prevenção de doenças cardiovasculares e outras ligadas a alimentação em desequilíbrio, como diabetes, obesidade e outras.


Como iniciar uma reeducação alimentar

A principal dica da nutricionista sobre como fazer a reeducação alimentar é substituir ao invés de eliminar. Cibele explica que o melhor é substituir, mesmo que inicialmente não seja por opções completamente saudáveis.


“Substituir o refrigerante por H2O que é menos industrializado – ambos são, mas H20 é menos”, explica. “Existe o mito de que fazer dieta é caro. Não. Existem realmente alimentos caros. Mas existe o básico do arroz e feijão, que são muito completos”, completa.


Cibele reforça que cada organismo reage de uma forma a reeducação alimentar. Ela conta que as mudanças podem ser notadas em uma semana, ou demorar um pouco mais para se tornar visíveis.


Além disso, ela explica que não é só o peso que demonstra as mudanças decorrentes da reeducação. É possível que, com uma semana, o paciente já note, por exemplo, mais disposição para realizar algumas tarefas. Outros, nesse tempo, podem perceber perda de peso. Cada organismo reage de uma forma.


Fonte: Seleções

8 visualizações0 comentário