• Assessoria de Comunicação

Prefeitura de Curitiba já planeja vacinação contra COVID 19 de pessoas com comorbidade


Mesmo ainda sem data para imunização contra a Covid-19 devido à falta de doses, a prefeitura de Curitiba já se prepara para vacinar o grupo de pessoas com comorbidade. A estimativa é que 300 mil curitibanos sejam imunizados nesta fase, sem contabilizar as gestantes e puerpéras, incluídas na segunda (27) no grupo. Seguindo orientação do Ministério da Saúde, a vacinação destes pacientes será por idade, do mais velho para o mais novo. De acordo com informações da Prefeitura de Curitiba, pacientes com comorbidades que fazem parte do grupo prioritário e são acompanhados pelas unidades de saúde não precisarão apresentar nenhum documento extra. Já os pacientes acompanhados pela rede privada precisarão apresentar uma declaração do médico que o acompanha. Os detalhes sobre as informações que precisam estar nesta declaração e um modelo serão divulgados em breve.


Entre as comorbidades, haverá duas fases. Na primeira fase desse novo grupo, estão aquelas com síndrome de down de qualquer idade, doentes renais crônicos, que fazem diálise, também de qualquer idade, gestantes e puérperas de qualquer idade que tenham algum tipo de comorbidade, pessoas com comorbidades com idade de 55 a 59 anos e pessoas com deficiência permanente que estejam cadastradas no programa de benefício de prestação continuada, com idade de 55 a 59 anos


Na fase 2, serão vacinadas pessoas com idades entre 18 e 54 anos, por ordem decrescente que possuam comorbidades, deficiência permanente e que estejam cadastradas no programa de benefício de prestação continuada, além de gestantes e puérperas sem comorbidades.


Pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, o grupo de comorbidades vem depois das pessoas com 60 anos ou mais. Curitiba imunizou com a primeira dose nesta semana aqueles com 63 anos e suspendeu a vacinação de 62, 61 e 60 anos por falta de doses. A previsão de vacinação dos comorbidades aconteça em maio, porém, nem a secretaria de Estado de Saúde e nem as secretarias municipais de Saúde se arriscam a definir uma data diante da escassez do imunizante e da dificuldade do Ministério da Saúde em cumprir o calendário.


Gestantes divididas em dois grupos


O Ministério da Saúde enviou na segunda-feira (26) uma nota técnica orientando que todas as grávidas e puérperas (mulheres no período pós-parto) sejam colocadas no grupo prioritário para receber a vacina contra a Covid-19. Em 15 de março, o governo já tinha incluído as gestantes com comorbidades. Apesar da inclusão, o governo federal diz que primeiro devem ser vacinadas as grávidas com doenças pré-existentes. Só depois é que a outra parte do grupo deve ser divulgado. "Neste momento, é altamente provável que o perfil de risco verus benefício na vacinação das gestantes seja favorável. Portanto, o Programa Nacional de Imunizações [...] decidiu por recomendar a vacinação contra a Covid-19 de todas as gestantes e puérperas e incluí-las nos grupos prioritários para vacinação", diz a nota. A coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Franciele Francinato, explicou que a decisão foi tomada visto que grávidas e puérperas têm risco maior de hospitalização por Covid-19. O puerpério, também conhecido como resguardo, é o período que vai desde o nascimento do bebê até entre 45 e 60 dias após o nascimento.


Comorbidades, segundo Plano Nacional de Vacinação


  • Diabetes

  • Pneumopatias crônicas graves

  • Hipertensão arterial resistente

  • Hipertensão arterial estágio 3

  • Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade

  • Doenças cardiovasculares

  • Insuficiência cardíaca

  • Cor-pulmonal e Hipertensão pulmonar

  • Cardiopatia hipertensiva

  • Síndromes coronarianas

  • Valvopatias

  • Miocardiopatias e pericardiopatias

  • Doenças da aorta, dos grandes vasos efístulas arteriovenosa

  • Arritmias cardíacas

  • Cardiopatias congênita no adulto

  • Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados

  • Doença cerebrovascular

  • Doença renal crônica

  • Imunossuprimidos

  • Anemia falciforme

  • Obesidade mórbida (com índice de massa corpórea igual ou superior a 40

  • Síndrome de Down

  • Cirrose hepática


Fonte: BemParaná



33 visualizações0 comentário