• Assessoria de Comunicação

O que é febre emocional, sintomas e como tratar

A febre emocional, também chamada de febre psicogênica, é uma condição em que a temperatura do corpo se eleva diante de uma situação estressante, causando sensação de calor intenso, suor excessivo e dor de cabeça. Essa condição pode ser desencadeada em pessoas que têm ansiedade generalizada, transtornos mentais, doenças físicas, como a fibromialgia e até em crianças por causa de mudanças na rotina, por exemplo.

O diagnóstico da febre emocional não é fácil de se encontrar, entretanto, pode ser feito por um clínico geral, neurologista ou psiquiatra através da história clínica da pessoa e da realização de exames que servem para descartar outras doenças. E ainda, o tratamento desta condição consiste, geralmente, no uso de medicamentos para aliviar o estresse e a ansiedade, como os ansiolíticos.

Principais sintomas

A febre emocional é provocada pelo estresse e leva a elevação da temperatura do corpo, chegando a um valor acima de 37°C, sendo que outros sintomas podem surgir:

  • Sensação de calor intenso;

  • Vermelhidão no rosto;

  • Suor excessivo;

  • Fadiga;

  • Dor de cabeça;

  • Insônia.

Estes sintomas podem não aparecer ao mesmo tempo, no entanto, se surgirem e durarem por mais de 48 horas é recomendado procurar um atendimento médico rapidamente para verificar as causas, que muitas vezes, podem indicar outros tipos de doenças, como infecções ou inflamações.


Possíveis causas

A febre emocional acontece porque as células do cérebro reagem ao estresse fazendo com que a temperatura do corpo aumente para mais de 37°C, podendo chegar aos 40°C, e os vasos sanguíneos fiquem mais comprimidos causando vermelhidão no rosto e aumento dos batimentos cardíacos.

Estas alterações ocorrem por causa de situações estressantes do dia-a-dia, como falar em público, ocasiões de bastante trauma, como perda de um familiar, ou podem surgir devido a distúrbios psicológicos como estresse pós traumático, transtorno de ansiedade generalizada e até síndrome do pânico.

O aumento rápido e exagerado da temperatura corporal também pode começar por causa do estresse e ansiedade vivido por pessoas que possuem doenças como fibromialgia e encefalomielite miálgica, mais conhecida como síndrome da fadiga crônica.

Quem pode ter febre emocional

A febre emocional pode aparecer em qualquer pessoa, inclusive pode se desenvolver em crianças, por causa de acontecimentos específicos desta idade que geram estresse, como inicio da ida na creche e consequente separação dos pais por um período, ou perda de algum familiar próximo e também devido outros sentimentos comuns na infância que ocorrem por causa de mudanças em sua rotina.

Como é feito o tratamento

A febre emocional provoca aumento da temperatura corporal e, geralmente, é transitória e desaparece espontaneamente, no entanto, pode durar meses se for causada por um estresse contínuo, sendo que, na maioria das vezes, não melhora com uso de medicamentos como anti-inflamatórios, como ibuprofeno, e nem com antipiréticos, como dipirona sódica.

Desta forma, após diagnosticar esta condição, o médico vai analisar a causa da febre emocional para que seja indicado o tratamento mais adequado que consiste principalmente do uso de medicamentos ansiolíticos, para aliviar a ansiedade e estresse, e antidepressivos, para tratar a depressão. Também pode ser recomendado o acompanhamento com psicólogo para fazer sessões de psicoterapia com objetivo de entender o que faz com a pessoa se sinta estressada e ansiosa.

Além disso, realizar atividades que envolvam técnicas de relaxamento e respiração, como yoga, e praticar meditação e fazer mindfulness podem ajudar a tratar a febre emocional, pois reduzem o estresse e ansiedade.

Fonte: Tua Saúde

4,252 visualizações0 comentário