• Assessoria de Comunicação

Lojas que vendem fogos de artifício são fiscalizadas em Curitiba. Artefatos com barulho são proibido

Com a proximidade das festas de fim de ano, a procura de fogos de artifício aumenta em Curitiba e na Região Metropolitana. A partir disso, lojas especializadas no ramo estão sendo fiscalizadas e orientadas quanto à venda e uso do material. As ações de fiscalização fazem parte do trabalho da Polícia Civil do Paraná (PCPR) e da prefeitura de Curitiba. Vale reforçar que na capital paranaense é proibido o uso de fogos com barulho.


Ao todo 12 comércios em bairros diferentes receberam a vista das autoridades, entre elas estabelecimentos localizados na Cidade Industrial de Curitiba, Campo de Santana, Boqueirão, Alto Boqueirão, Sítio Cercado, Capão Raso, Santa Felicidade e Mossunguê. Alguns dos estabelecimentos foram notificados quanto a ausência de Certificado de Vistoria, regularização de documento e atualização de Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros. A ações de orientação e fiscalização continuará até o final deste ano.


As orientações foram voltadas ao decreto 1821/2021, em vigor desde dezembro de 2020, que regulamenta a lei que proíbe a soltura de fogos com barulho na cidade, ou seja, podem ser usados apenas fogos de artifício com efeitos de cores, os que produzem efeito visual sem tiro. E ainda determina que os consumidores sejam orientados no ato da compra e que o comércio mantenha o cadastro de quem adquirir os produtos. A ações de orientação e fiscalização continuará até o final deste ano.


Reclamações

Na noite do Réveillon, em Curitiba, em 2020, a Central de Atendimento 156 da prefeitura de Curitiba recebeu 224 solicitações sobre poluição sonora, diurna e noturna. Apesar do alto número de reclamações, não foram aplicadas multas ou qualquer outro tipo de advertência.


Fonte: Tribuna PR