• Assessoria de Comunicação

Design de painel solar ajuda a ampliar a capacidade de absorver luz

De acordo com um estudo, painéis solares projetados em linhas quadriculadas tem a capacidade de absorver mais de 100% de luz.



Um estudo realizado pela Universidade de York, em parceria com a Universidade NOVA de Lisboa, descobriu uma maneira de obter um melhor aproveitamento dos painéis solares.


Através da investigação de diferentes tipos de designs de superfícies, os pesquisadores descobriram que painéis solares projetados em linhas quadriculadas aumentam a capacidade de absorção da luz em 125%.


O setor de energia renovável está constantemente em busca de novas maneiras de aumentar a absorção de luz por células solares em materiais leves, que podem ser usados ​​em produtos desde telhas a equipamentos de camping.


O silício de grau solar – usado para criar células solares – consome muita energia para produzir, portanto, criar células mais finas e alterar o design da superfície as tornaria mais baratas e ecologicamente corretas.


“Encontramos um truque simples para aumentar a absorção de células solares finas. Nossas investigações mostram que nossa ideia realmente rivaliza com o aprimoramento de absorção de designs mais sofisticados – ao mesmo tempo em que absorve mais luz nas profundezas do plano e menos luz perto da própria estrutura da superfície”, disse o Dr. Christian Schuster, do Departamento de Física da Universidade de York.


Ainda de acordo com o professor, este design atende a todos os aspectos relevantes de captura de luz para células solares, abrindo caminho para estruturas difrativas simples, práticas e, no entanto, excelentes, com um impacto potencial além das aplicações fotônicas. Isso significa que este projeto abre possibilidades para integrar ainda mais células solares em materiais mais finos e flexíveis, facilitando a aplicação da energia solar em mais produtos.


Pegada de carbono

O estudo sugere que este princípio de design pode impactar não apenas o setor de células solares ou LED, mas também ser muito útil em aplicações como blindagem de ruído acústico, painéis contra vento, superfícies antiderrapantes, aplicações de biossensor e resfriamento atômico.


Para o Dr. Christian Schuster, essa tecnologia, além de aumentar a produção de eletricidade solar, contribui para reduzir significativamente nossa pegada de carbono. “Na verdade, como o refino da matéria-prima de silício é um processo que consome muita energia, as células de silício dez vezes mais finas não apenas reduziriam a necessidade de refinarias, mas também custariam menos, potencializando nossa transição para uma economia mais verde.”


Fonte: Dinâmica Ambiental

1 visualização0 comentário
Acesso Rápido

E-mail: gabinetenoemiarocha@gmail.com
Contato: 41 9994-15007

Endereço: Barão do Rio Branco, 720. 4º andar.

         Acompanhe nosso mandato

© 2019 by Ascom Noemia Rocha.    Políticas de Privacidade