• Assessoria de Comunicação

Descubra os benefícios da leitura na infância

São muitos os benefícios da leitura na infância. Afinal de contas, ela é fundamental para o desenvolvimento das habilidades cognitivas e de comunicação das crianças. Muito antes de aprender a ler, os pequenos e as pequenas já podem se familiarizar com o formato físico do livro e vão entendendo que ele tem figuras, que essas figuras contam uma história, e por aí vai.


Por conta disso, o contato com os livros nunca pode ser chamado de “precoce”. A leitura, a literatura, a imaginação, a contação de histórias – e de estórias – favorecem o aprendizado contínuo, aquele que levamos para o resto das nossas vidas.


Além desse papel fundamental da leitura, o hábito de ler também favorece o aprendizado da escrita. Assim, além de um grande pequeno leitor, é através do contato com os livros que formamos grandes pequenos escritores.


Que tal, então, explorar ainda mais as potências da leitura aí em sua casa? É justamente por meio da leitura compartilhada que vemos a força desses hábitos tão bonitos: o de ler e o de imaginar.



Os benefícios da leitura na infância


Além de ser uma delícia de ser feita em família, a leitura traz inúmeros benefícios para a criança e, também, para os pais. Veja alguns dos impactos:

  • Fortalece a conexão com quem lê para a criança (pais, familiares ou cuidadores);

  • Desenvolve a atenção, a concentração, o vocabulário, a memória e o raciocínio;

  • Estimula a curiosidade, a imaginação , a criatividade;

  • Ajuda a criança a perceber e a lidar com sentimentos e emoções;

  • Auxilia no desenvolvimento da empatia (capacidade de colocar-se no lugar do outro);

  • Minimiza problemas comportamentais, como agressividade;

  • Desenvolve a linguagem oral;

  • Favorece o aprendizado da escrita;

  • Funciona como um exercício contínuo de organização do pensamento, que se expressa em fala e, depois, na escrita ;

  • É uma maneira de explorar aqueles temas que a criança mais gosta, informando e tornando a comunicação cada vez mais consistente.


A leitura adequada, aliada às atividades corretas, gera resultados incríveis


Por isso, livros devem sempre fazer parte do universo infantil. E, se possível, inclusive desde a gestação!


Não há necessidade de forçar qualquer atividade, uma vez que a aprendizagem vem naturalmente. Outra dica importante é tornar a leitura parte da rotina da criança, o que torna esse momento ainda mais natural.


Afinal, é justamente isso que buscamos: tornar esse momento mais comum nas casas, nas diferentes famílias e suas diferentes organizações. Dessa forma, tornamos a leitura em um momento de prazer, de reflexão e de partilha. Ler não precisa ser uma obrigação enfadonha.


Assim como é fundamental prover a leitura adequada para cada fase da criança, a forma de se estimular essa leitura também varia. Listamos algumas dicas, separadas por idade, para tornar esse momento ainda mais legal!


Crianças de 0 a 1 ano


1. Explorar livros de borracha, de plástico, de tecido e com texturas para o livre manuseio (porque bebês gostam de manusear os objetos para se familiarizar com eles);


2. Apontar as figuras que estão no livro e dizer em voz alta o nome daquilo para o qual o seu filho está olhando;


3. Virar as páginas de acordo com o interesse do bebê ou ajudá-lo a virar;


4. Representar com gestos ou com a voz a figura que estiver mostrando;


5. Imitar os sons que o bebê faz e observar sua reação;


6. Fazer perguntas sobre as coisas que ele está ouvindo e vendo;


7. Seguir as indicações do bebê, seja para ler mais, para repetir ou parar;


8. Deixar que, com segurança, o bebê explore o livro das formas que melhor desejar.


Crianças de 1 a 2 anos


1. Deixar que a criança escolha um livro que queira ler junto com você;


2. Usar diferentes vozes para representar as diversas personagens das histórias;


3. Fazer perguntas para que a criança possa responder apontando ou falando;


4. Incentivar que ela faça o som de determinado animal ;


5. Sorrir e responder quando a criança falar ou apontar ;


6. Deixar a criança virar as páginas do livro;


7. Acrescentar mais palavras sobre uma imagem que ela apontar;


8. Nomear e demonstrar ações e emoções nas histórias – e não só ler o que está lá;


9. Buscar perceber aquilo que mais desperta a atenção da criança e aqueles que são os seus temas preferidos para, então, investir em mais livros desse mesmo gênero ou temática.


Crianças de 2 a 4 anos


1. Fazer perguntas sobre as imagens do livro para que a criança responda;


2. Ler livros que apresentem ações que as crianças já entendem como inusitadas. Por exemplo: “Os três lobinhos e o porco mau” ;


3. Dar espaço para que a criança faça comentários sobre alguma figura ou palavra, e valorizar todas as perguntas e comentários que a criança faz;


4. Incentivar a criança a contar sua história favorita, de sua própria maneira, sem interferências suas – lembre-se de que contar é também uma forma de recriar;


5. Mostrar para a criança como as coisas que acontecem nos livros são parecidas com o que acontece com a gente ;


6. Falar sobre os sentimentos dos personagens e perguntar se ela já sentiu aquilo;


7. Estimular que ela conte as histórias do livro a partir da sua própria interpretação das figuras, imagens e cenas;


8. Convidar a criança para desenhar aquilo que entendeu da história, pois essa também é uma maneira de se apropriar do enredo.


Crianças de 4 a 6 anos


1. Conversar de forma espontânea sobre os assuntos do livro;


2. Mostrar para a criança que você está lendo as palavras do livro, o que permite que ela identifique a sonoridade de cada combinação de letras ;


3. Ler a história do jeito que o autor escreveu, sem alterar as palavras estranhas e diferentes, o que amplia o vocabulário da criança;


4. Seguir a leitura com o dedo, para que a criança possa acompanhar visualmente as letras e compreenda de que forma o texto se organiza para que seu entendimento possa acontecer.


Crianças de 6 a 8 anos

Nessa época da vida, a criança já está em uma fase em que a imaginação e a criatividade já têm maiores asas para voar. Em partes, isso se deve ao processo de alfabetização e ao caminho trilhado pela família ao longo da formação do pequeno leitor.


1. Sempre encoraje seu pequeno leitor a ler para você e o ajude sempre que notar qualquer dificuldade, mas sem acelerar ou influenciar demasiadamente o processo de leitura;


2. Revezem a leitura sempre que necessário, intercalando as falas das personagens do livro ou folha a folha;


3. Tenha cuidado e não transforme a leitura em um fardo para a criança, nem mesmo uma obrigação;


4. Sempre indague a criança a falar o que ela sabe sobre o tema do livro , converse e explore as trocas de conhecimentos entre vocês. Deixe que ela te surpreenda!


Crianças de 8 a 10 anos


Nesta faixa etária, a criança já tem uma relação bastante diferente com a leitura. O que não quer dizer, no entanto, que vocês já não terão momentos para compartilhar.


Que tal dividir as leituras, desde aquelas que são indicadas pela escola até aquelas que vocês desejam compartilhar apenas pelo prazer de ler? Outra sugestão é cada um ler seu próprio livro e depois contarem um para o outro como foi a leitura! Nesse momento, é preciso ter bastante cautela e jamais deixar de ler para o seu pequeno leitor, ainda que ele já domine a escrita e a leitura sem dificuldades.


Fonte: Leiturinha

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo