• Assessoria de Comunicação

Cuidados com saúde mental são destaque no mês do Janeiro Branco

O Palácio Rio Branco, iluminado durante à noite na cor branca, chama a atenção da população para as atividades do Janeiro Branco, mês dedicado à atenção com a saúde da mente. A iluminação cênica na sede da Câmara Municipal de Curitiba (CMC) demonstra o apoio do Poder Legislativo ao movimento da sociedade civil, que realiza diversas atividades no período, com o lema “Quem cuida da mente, cuida da vida”. Entre as ações está uma caminhada que será realizada no próximo domingo (26), a partir das 9h30, no Parque Barigui. A concentração será em frente ao Expo Barigui e os organizadores pedem que os participantes estejam com camisetas na cor branca.


Uma das coordenadoras do movimento em Curitiba, a psicóloga Silvia Galindo destaca que as atividades do Janeiro Branco são gratuitas. Ela também convida para palestra no dia 29, que terá como tema “Vamos falar sobre saúde mental e emocional?”, ministrada pela psicóloga Ellen Martins; e roda de conversa com a psicóloga Júlia Benedini, sobre a temática “Saúde emocional para todos – como fazer a sua parte”. O evento será no Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva (IPTC), das 19h às 21h, com vagas limitadas. As inscrições devem ser feitas pelo endereço eletrônico contatosaudedasemocoes@gmail.com.


“Precisamos falar sobre o tema o ano inteiro, de janeiro a janeiro, para tirar o preconceito sobre o adoecimento mental, pois muitas vezes quando o indivíduo sofre com emoções negativas ou traumas a tendência é esconder, ou até mesmo ignorar estes sentimentos, mas isso pode agravar o problema e dificultar a busca por ajuda, a prevenção e o enfrentamento às doenças. Ações, reflexões e orientações podem salvar vidas”, explica Silvia Galindo. Ainda segundo a psicóloga, a CMC, como órgão de representatividade, “vem fortalecendo a campanha, no apoio a eventos e outras ações”.


Visibilidade


Desde o início do mês, a CMC destaca em suas redes sociais o tema da saúde mental. As capas de todos os perfis oficiais do Legislativo e postagens no Facebook, Twitter e Instagram alertam sobre o tema, dão dicas sobre como preservar uma boa saúde mental e locais em que é possível buscar ajuda, como o serviço prestado pelo Centro de Valorização da Vida (CVV) e aplicativos disponíveis gratuitamente na Internet.


Movimento nacional que atua na área da prevenção e no combate ao adoecimento emocional da humanidade, o Janeiro Branco foi oficializado em Curitiba por meio da lei municipal 15.160/2018, de autoria da vereadora Noemia Rocha (MDB). A norma prevê a realização de ações educativas para a difusão da saúde mental, por parte do poder público municipal, em cooperação com a iniciativa privada e outros setores da sociedade civil.

A parlamentar avalia que o principal foco da data é a conscientização das pessoas, de que todos devem ter atenção para as questões relacionadas à saúde mental. Para além do mês temático, a vereadora diz atuar em seu mandato sempre “na busca de ações e políticas públicas que vão ao encontro de fomentar mais saúde mental à população”.


A divulgação do período, além de ações internas realizadas com os servidores do Legislativo, são uma determinação da Comissão Executiva da Câmara, formada pelos vereadores Sabino Picolo (DEM), presidente, Colpani (PSB) e Professor Euler (PSD), primeiro e segundo secretários, respectivamente. Conforme Sabino Picolo, a partir deste ano as datas de grande impacto social, instituídas após sugestão dos vereadores, receberão maior divulgação por parte da Câmara Municipal.


Onde buscar ajuda


É possível buscar ajuda na rede pública de saúde ou junto a instituições da sociedade civil. De acordo com informações da Prefeitura de Curitiba, não há uma atividade específica programada para o Janeiro Branco, mas o trabalho na área é permanente. Os atendimentos e tratamentos são ofertados em todos os serviços da Rede de Atenção Psicossocial, composta por 111 unidades de saúde, 4 equipes do Consultório de Rua, 4 ambulatórios de Saúde Mental, 13 Centros de Atenção Psicossocial (Caps), 9 UPAS, 1 hospital psiquiátrico, além de haver também disponíveis leitos de saúde mental em hospital geral.

“A definição do serviço mais adequado para o tratamento irá depender de um processo de avaliação das necessidades apresentadas pelo paciente. A porta de entrada comumente é a unidade de saúde em que a pessoa possui cadastro. Ela é encaminhada para a rede especializada se constatada necessidade e de acordo com critérios de estratificação de risco”, informa a Prefeitura. Já na rede especializada, os ambulatórios em saúde mental ofertam consultas de psicologia e psiquiatria para usuários que apresentam sofrimento psíquico significativo e/ou transtornos mentais moderados.

Os Caps também fazem parte da rede especializada e são direcionados ao cuidado dos usuários que apresentam transtorno mental moderado/grave e/ou dependência química, que necessitam de reabilitação psicossocial, por meio de atenção multidisciplinar, e auxílio na retomada das suas atividades diárias, com promoção de autonomia, convívio familiar, evitando-se, sempre que possível, o internamento. O hospital presta atendimento a situações de alto risco após esgotados os outros recursos terapêuticos da rede.


CVV e apps


Instituições da sociedade civil, como o Centro de Valorização da Vida (CVV), também oferecem apoio emocional de forma gratuita. A entidade atua no Brasil há mais de 60 anos e está prestes a completar 40 anos de atividade na capital paranaense. O contato com voluntários pode ser feito no site www.cvv.org.br, pelo telefone 188, e-mail ou presencialmente na rua Carneiro Lobo, 35, no Água Verde.

Aplicativos como o Rootd, Forest e Cogni, que são gratuitos e disponibilizados nas lojas de aplicativos, podem auxiliar a manter a saúde emocional e prometem aliviar momentos de crise de pânico e ansiedade; melhorar a gestão do tempo e manter o foco em atividades; além de registrar pensamentos para obtenção de maior controle sobre as emoções.


Serviço

O quê? Caminhada do Janeiro Branco.

Quando? Dia 26/1 (domingo), a partir das 9h30.

Onde? Parque Barigui, com concentração em frente ao Expo Barigui.

O quê? Palestra “A meditação na promoção da saúde mental”, ministrada por David Miramond.

Quando? Dia 27/1 (segunda), a partir das 14h.

Onde? Auditório da Fundação Estatal de Atenção em Saúde (Feas), na rua Lothário Boutin, 90, Pinheirinho.

O quê? Palestra “Vamos falar sobre saúde mental e emocional?”, ministrada pela psicóloga Ellen Martins; e roda de conversa “Saúde emocional para todos – como fazer a sua parte”, com a psicóloga Júlia Benedini.

Quando? Dia 29/1 (quarta-feira), das 19h às 21h.

Onde? No Instituto Paranaense de Terapia Cognitiva (IPTC), na rua Emiliano Perneta, 10, 6º andar, sala 603, Centro.

Fonte: Câmara Municipal de Curitiba

Fotos: Carlos Costa/CMC


0 visualização
Acesso Rápido

E-mail: gabinetenoemiarocha@gmail.com
Contato: 41 9994-15007

Endereço: Barão do Rio Branco, 720. 4º andar.

         Acompanhe nosso mandato

© 2019 by Ascom Noemia Rocha.    Políticas de Privacidade