• Assessoria de Comunicação

A saúde do idoso: promovendo a qualidade de vida



Um estilo de vida mais saudável requer a adequação de bons hábitos, principalmente quando se pensa sobre a saúde do idoso. Esta ideia sempre nos remete à sensação de se sentir bem e com uma saúde estável. Para isso, é sempre importante lembrar que uma alimentação saudável, praticar atividades físicas e estar em dia com os exames são a base para ter uma vida melhor em qualquer idade.


A partir desse princípio, aliado ao acesso à informação, é despertado em jovens e adultos a consciência sobre os cuidados com o seu corpo e com o envelhecimento. Incluindo na sua rotina pequenas e significativas mudanças que culminem para um estilo de vida que nutre saúde e bem-estar.


Pensar na saúde da terceira idade se torna particularmente crucial quando observamos que o brasileiro caminha para um futuro com maior concentração de idosos do que de crianças. Dados do IBGE mostram que, dos mais de 210 milhões de pessoas no Brasil, aproximadamente 9,52% são idosos. Ainda que, em recente estimativa, o IBGE projetou um aumento em 173% até 2060, o que se faz entender que a qualidade de vida do brasileiro tem melhorado, principalmente na questão do avanço da idade.

A saúde do idoso vai muito além das consultas e dos exames

Após a chegada dos 30 anos são recorrentes as consultas médicas e a realização de exames periódicos. Com o avanço da idade, é ainda mais comum manter isto frequente. Estar em dia com a sua saúde é ter condições para viver melhor.


Promover a saúde tem total relação com a qualidade de vida. Mas não tão somente os exames médicos são capazes de prover qualidade no estilo de vida do cidadão, principalmente na terceira idade. É preciso cuidar da saúde em aspectos psicológicos para, além de estar bem, sentir-se bem também.

Qualidade de vida: a saúde de fora para dentro

Em diversas cidades há organizações e associações que trabalham justamente com o propósito de melhorar a qualidade de vida da terceira idade. As ações normalmente envolvem atividades físicas ao ar livre como caminhada, ginástica e yoga. Em ambientes internos é possível participar de oficinas e cursos de alfabetização, instrumentos musicais e artes. Além de entretenimento e interação entre pessoas da mesma faixa etária.


Muito mais que promover atividades de relaxamento e uma vida mais ativa, estas ações também ajudam a promover a inclusão social da pessoa idosa. O convívio com pessoas da mesma idade é essencial para se levar uma vida mais sadia nesta fase da vida, prevenindo problemas físicos e até mesmo psicológicos, como transtorno de ansiedade e depressão.

Pensar na saúde dos idosos vai além de oferecer serviços médicos e prevenção de doenças físicas. É preciso levar em consideração o aspecto humano de uma pessoa que convive em sociedade e que ainda participa ativamente dela.


Fonte: Ecomax

10 visualizações0 comentário