• Assessoria de Comunicação

8 exemplos e 7 maneiras de parar de se sabotar

Autossabotagem é uma ação negativa que infligimos a nós mesmos – apesar de ser uma atitude danosa, é mais comum do que se pensa. Reunimos 8 exemplos e 7 maneiras para parar de se sabotar. Confira!



A maioria de nós, uma vez ou outra, já se sabotou. Estabelecemos uma meta ou intenção, somos claros sobre o que queremos e, em seguida, nos sabotamos ao permitir que dúvidas, pensamentos e emoções negativas nos preencha e transborde em inseguranças e crenças limitantes.


A autossabotagem é geralmente um comportamento inconsciente e muitas vezes conduzido por nossas inseguranças e medos. Pode ser uma tática para nos proteger de sermos feridos ou fracassados, ou para evitar frustrações ou qualquer tipo de descontrole.


No entanto, esses hábitos são prejudiciais e tais atitudes autocríticas nos impedem de ser felizes e criar a vida que queremos.


“Se eu penso nas possíveis coisas que poderiam dar errado, então eu não serei pego de surpresa se elas acontecerem”. Bem, esse tipo de pensamento leva a negatividade e se a nossa mente tem força, acabamos atraindo exatamente o que não queremos para nós.


Reverter os hábitos de autossabotagem, como se preocupar excessivamente ou assumir o pior, deve ser feito para ontem. Para tal, é necessário auto-reflexão, autoconhecimento e buscar as reais razões que o levam à autossabotagem.


Pensando nisso, reunimos 7 maneiras para que você pare de se sabotar de uma vez por todas.

Algumas formas comuns de autossabotagem:


Você já…

- Frequentemente comparou e mediu o seu sucesso com o dos outros?

- Assumiu que você é impotente a toda e qualquer circunstância?

- Projetou negativamente o que as pessoas pensam sobre você?

- É excessivamente crítico a você mesmo e aos outros?

- Se culpou ~por uma vida inteira~ por ter errado?

- Ignorou as suas necessidades pessoais?

- Mentalizou os piores cenários?

- Sente ser vítima da vida?


Se você disse “sim” a qualquer uma das perguntas acima, você já se sabotou.


Temos muitas qualidades dentro de nós. Se olharmos para elas, podemos entender que somos mais do que nossas preocupações, ansiedades e monstros criados nas nossas cabeças.


Por exemplo: todos nós temos um talento inerente que deve ser celebrado e usado com mais frequência. Pode ser a habilidade em consertar coisas, fazer cálculos, cozinhar ou escrever.


Ter plena consciência das nossas qualidades e e talentos nos ajuda reverter esse quadro.

Perguntar a si quais pensamentos, falas ou atitudes você deve abandonar para aquietar a mente e o coração ajuda a diminuir a força desse inimigo da sua felicidade. Assim, é possível parar de se sabotar.


Pense, Forest, pense

Pensar é bom, mas pensar constantemente em coisas negativas e se preocupar o tempo todo não é. A preocupação não vai ajudá-lo a encontrar uma solução racional. Na verdade, ela só cria monstros na nossa cabeça – e algumas doenças.


É natural que nos preocupemos com um problema, mas a partir do momento que essa preocupação torna-se uma fonte de angústia, é hora de dar um basta.


Tente pensar na solução. E tenha em mente que “o que não tem remédio, remediado está.” Preocupe-se menos e viva mais.

7 maneiras de parar com a autossabotagem