• Assessoria de Comunicação

7 hábitos para uma vida mais equilibrada

Entre os inúmeros compromissos e atividades que temos em nosso dia a dia, nem sempre é fácil manter uma vida mais equilibrada. E quando falamos em equilíbrio, não estamos nos referindo somente à saúde corporal, mas a tudo que envolve uma vivência mais plena e cheia de bem-estar, ou seja, à saúde integral.



A boa notícia é que colocando em prática no seu cotidiano alguns hábitos simples já é possível alcançar mais qualidade de vida. Não se trata de fazer dieta ou de transformar-se em um atleta de um dia para o outro. A questão é observar melhor suas práticas diárias e perceber que, fazendo pequenas mudanças ou adaptações graduais, você pode reduzir o estresse, ter mais saúde e incluso uma vida social melhor.


Quer saber como? Confira estas 7 valiosas dicas de saúde integral para ter uma vida mais equilibrada.

1 - Misture sabor e saúde

A alimentação é o combustível do nosso corpo para todo e qualquer tipo de atividade. Até para uma função que pode parecer tão simples como o pensamento, o nosso cérebro utiliza a energia gerada pelo que comemos.


Ou seja, a alimentação é a base para tudo que fazemos em nosso dia a dia. Por isso, vale refletir sobre o que você come e a forma como se alimenta.


Contudo, não adianta querer mudar a dieta de um dia para o outro. O melhor é observar-se e ir fazendo pequenas alterações para ir se adaptando a uma nova forma de se alimentar.


Algumas dicas:

  • Descubra novas receitas com ingredientes mais saudáveis.

  • Procure balancear seus pratos, incluindo vegetais crus e cozidos (50%), proteínas (25%) e carboidratos (25%).

  • Faça uma horta em casa e aprenda a temperar melhor os alimentos para evitar abusar do sal.

  • Intercale as refeições principais com pequenos lanches (frutas, barrinhas de cereal, castanhas, iogurte, etc.).

  • Tome mais água.

  • Reserve momentos tranquilos para comer.

2 - Descubra o que te move

Praticar exercícios físicos não contribui só com a boa forma, também ajuda a ter mais disposição e ainda estimula hormônios relacionados à felicidade e ao bem-estar.


Mas não adianta fazer a matrícula em uma academia e sempre encontrar uma desculpa para não ir. O ideal é descobrir uma atividade que você goste. Pode ser nadar, correr, pedalar, caminhar, fazer aulas de ginástica, trilhas pela natureza, etc. O importante é ter alguma regularidade nessas práticas.

3 - Inspire, expire e não pire

A saúde emocional e espiritual também faz a diferença em nosso bem-estar. Você tem variações bruscas de humor? Tem comportamentos impulsivos? Sofre com o estresse? Diante de situações assim, a primeira dica é respirar.


Tomar alguns segundos que seja para fechar os olhos e respirar fundo é o primeiro passo para o autocontrole. Apesar de ser vital, respirar pode até parecer algo banal. Mas observe, por exemplo, que práticas milenares de relaxamento como a meditação e a ioga se baseiam, antes de tudo, no controle da respiração.


Ter alguns momentos de paz a cada dia, em que você possa concentrar-se em sua respiração e em seus pensamentos, pode ser uma ótima forma de aliviar o estresse.


Não consegue encontrar tempo? Não para de pensar em seus afazeres? As preocupações financeiras não te deixam dormir?


Pois, saiba que organizar e planejar melhor as suas contas também fazem a diferença na sua saúde financeira e contribui para seu bem-estar. Além disso, ter um bloco de notas para registrar essas tarefas que vêm à mente de forma aleatória é uma boa maneira de aliviar seu cérebro de tensões. E pode ser importante rever seus tempos e prioridades. Veja a seguir.


4 - Reveja seus tempos

Com que atividade você gasta mais tempo no seu dia a dia? Ela está relacionada com as suas prioridades de vida? Refletir sobre essa relação entre tempos e prioridades pode ser importante para seu bem-estar.


É verdade que encontrar tempo no meio da rotina às vezes pode parecer bastante complicado. Mas a organização é o segredo do sucesso. Então, liste seus afazeres diariamente, defina prioridades e perceba que tudo tem seu tempo. Não adianta mesclar tarefas. É importante ter foco e disciplina para realizar uma atividade por vez e ir riscando afazeres da sua lista. No final das contas, pode sobrar mais tempo do que você imagina para fazer o que você gosta.

5 - Quanto menos vícios, mais liberdade

Álcool, tabaco e outras drogas não são os únicos tipos de vícios que existem. Há quem seja viciado em açúcar, em chocolate, em jogos, entre outras manias específicas. A questão é perceber que um vício é uma dependência. E qualquer coisa em excesso pode prejudicar sua saúde. Ou seja, qualquer tipo de vício limita sua liberdade, rouba seu tempo e tira o foco de suas prioridades. Então, pense em seus objetivos de vida e lembre-se que você é mais forte que os vícios.

6 - Faça o que te dá prazer

Ouvir música, ler, viajar, divertir-se com amigos, curtir a família, assistir bons filmes, dançar, cozinhar… Invista tempo em atividades que você gosta de fazer.


Não se trata apenas de ter momentos de lazer e de ócio, mas sim de ter uma vida cultural, social e intelectual mais saudável. Você também precisa de tempo para desfrutar dessas atividades.


Da mesma forma, é preciso pensar na sua saúde ocupacional. Quer dizer, você está satisfeito com seu trabalho? O que poderia fazer para melhorar seu dia a dia profissional? Tente encontrar prazer na realização das suas tarefas.


E lembre-se que a felicidade pode estar nas pequenas coisas. Ninguém está livre de problemas nem vai chegar a um momento ideal em que tudo está perfeito. A questão pode ser descobrir que a perfeição está nessa complexidade: que não valorizaríamos a felicidade se não houvesse momentos tristes; que os desafios existem para aprendermos como superá-los; e que cada experiência pode ser vista por diferentes perspectivas a depender do momento. O melhor, então, é aproveitar a vida como ela é, desfrutar de cada momento e buscar prazer em cada uma de suas atividades ou tarefas.


7 - Ame-se

Para ter uma vida mais equilibrada, cultivar o amor próprio é fundamental. Quem se ama cuida melhor de si mesmo, dá mais atenção à própria saúde, tem mais confiança em suas escolhas e decisões, além de outros benefícios gerados pela autoestima elevada.


Mas não se trata de ser egoísta. A chave é o equilíbrio. E afinal, aprender a amar a si mesmo pode ser o primeiro passo para amar aos outros também, já que o processo de autoconhecimento e autoaceitação que leva ao amor próprio ajuda também a perceber que, essencialmente, todos somos iguais, independentemente de nossas diferentes características.


Fonte: O Seu Dinheiro Vale Mais

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo